Google+ Badge

Google+ Followers

Se você procura um serviço de tradução português-espanhol profissional e de máxima qualidade, podemos ajudar-lhe...

quarta-feira, 30 de julho de 2008

AUTO-ESTIMA

AUTO-ESTIMA.-

"Quando pensei na auto-estima como um direito humano, me pareceu algo muito obvio.

Toda criança tem o direito de desenvolver um saudável senso do Eu, pensar bem de si mesmo, ter confiança nas suas capacidades
e tomar seu lugar próprio no circulo da vida.

Quem pode opor-se a isso?

Porem, quanto mais pensava nisso, mais chegava a minha mente a palavra " Direito".



Existem no mundo muitos tipos de direitos, direitos humanos, direitos civis, direitos divinos e direitos de nascimento

Alguns direitos parecem uma função da Constituição e a Lei, no entanto outros transcendem os sistemas judiciais criados pelo
homem e parecem mais uma expressão do espírito eterno.

O direito a auto-estima pode ser considerado de ambas as perspectivas.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, estabelecida em 1948 nas Nações Unidas é uma maravilhosa expressão do Espírito
Humano. Só consta de seis páginas, resume os direitos fundamentais, experiências e aspirações de todos os seres humanos, sem consideração de raça, religião, sexo, idade ou naturalidade. Suas primeiras palavras estabelecem uma ponte entre a política e as pessoas,fazendo eco à voz de um coração global que nos une mais além de qualquer diferença.
" O reconhecimento da dignidade inerente, assim como da igualdade e do caráter inalienável dos direitos de todos os membros da família humana é a base da liberdade, a justiça e a paz no mundo"




Após ler todo isso, a pergunta é:

Se podem cumprir todos estes direitos?

Que são os Direitos Humanos?

Segundo a declaração da “ONU”...” todos os seres humanos nascem livres e iguais em quanto a dignidade e direitos”


“Não importam suas características individuais de aparência externa ou interna da pessoa, não importa qual é sua origem, sua genética, seu status social e econômico".

Ele, ela e todos têm o direito a vida e segurança (e a felicidade?)


Não só a escravidão e a servidão são perversões da relação humana, se não que além a tortura, o castigo cruel, degradante e
desumano o apreensão arbitraria e o exílio e violação de qualquer classe são transgressões dos direitos humanos que todos merecemos que se respeitem.

Se podem cumprir estes direitos?... o são só noções etéreas que só tomarão forma quando cada um de nós as reclame?

Ter o direito de expressão é uma coisa, outra muito diferente é fazer-lo realmente.

Historicamente estes Direitos Humanos são um paradigma relativamente recente, pelo menos politicamente falando.

Em tanto as religiões como o cristianismo, o budismo, o islamismo e outras, sempre reconheceram a divindade da alma humana, os governos estão atrasados com respeito a essa consciência.

Porque além do Direito Humano, do Direito Civil, e ate do Direito Divino, existe um direito que todos possuímos que é a base para todo o que somos e fazemos nesta vida.

Estou falando do Direito do Nascimento.

Com isto falo não só do Direito que toda criança por nascer tenha um nascimento amoroso, suave, consciente, e não violento.

Além disso, cada um de nós tem o Direito de continuar no mundo o milagre do crescimento que experimentou no ventre materno.

Tem Direito de desenvolver todos seus dons e talentos, de evoluir e converter-se na melhor expressão possível dele mesmo.

Por baixo da liberdade de pensar e falar o que deseja, de adorar a Deus como VC escolha e trabalhar como lhe goste; está o Direito mais fundamental, saber quem VC è, desenvolver sua auto-estima e experimentar seu EU essencial.



UMA HISTORIA



Na África, existe um povoadinho no qual, quando um casal planeja ter uma criança, a mulher vai se sentar baixo de uma determinada árvore, no em tanto esta aí, espera até que ouve a canção da alma do neném que vai vir. Senta-se em silêncio o tempo que seja necessário, ouvindo cuidadosamente. Se esse dia não ouve a canção, regressa à arvore na manhã seguinte, para continuar sua silenciosa busca.

Quando ouve a canção do neném, regressa a sua casa e a canta a seu esposo. Então, em quanto fazem o amor, a cantam juntos e concebem a seu filho.

Durante toda a gravidez, o casal canta esta canção ao neném por nascer. E quando nasce, o miram aos olhos e lhe cantam a canção outra vez.

No momento em que o neném è apresentado a sua família, lhe cantam a canção.


Quando o apresentam no povo, todo o povo lhe canta sua canção.

E assim acontece em cada fato importante, em toda a vida dessa pessoa

Ao transformar se em adulto, quando acaba sua educação, quando se casa, quando tem sucesso, sempre lhe cantam a mesma canção.

E quando essa pessoa morre e a sepultam, o povo canta sua canção pela ultima vez e nunca mais.


(Historia contada pelo Dr. Thomas Verny no Congresso da APPPAH reunido em San Francisco, Estados Unidos em Dezembro de 1997)


AUTOESTIMA


A auto-estima não è algo tão simples como aparenta.

Em princípio, é obvio que respeitar se a si mesmo e sentir confiança na própria capacidade para realizar coisas com sucesso é uma enorme vantagem na vida.

Além, parece lógico que, quando mais um se respeita a si mesmo, sabendo que aquele que um è existe e tem valor independente
do que faz, pode mais:

1.- desenvolver sua capacidade para ter sucesso,

2.- aprender dos seus erros,

3.- enamorar se do aprendizado, crescimento e o descobrimento de sua viagem pela vida.

A maioria dos seres humanos sensíveis pode ver o lógico e sensato de desenvolver um senso saudável do EU.

O Dicionário Webster define a auto-estima como: " confiança, respeito e satisfação em si mesmo"

Com sinceridade esta definição me parece bastante pobre.

Amar-se a si mesmo e amar aos outros são coisas virtualmente inseparáveis.

Quando VC tem pouca ou nenhuma auto-estima, tende a comparar-se com os demais.

Isto è desafortunado, porque uma vez que VC cai na comparação não pode ganhar. e como conseqüência se sente mais desesperado
ainda.

O principal problema com a comparação è que VC è único, e a pessoa com a que se compara é única também.

Infortunadamente os pais cometem esse erro muito freqüentemente.

Porque não podes ser como teu irmão?. Porque não podes ser como João?, Ele não tem problemas em matemáticas.

Frases como estas inibem o senso do EU da criança.

Profundamente em seu interior toda criança sabe que deve ser respeitada por ela mesma, por quem ele è, não comparado com
alguém que ele não é e nunca poderá ser.

Freqüentemente as crianças crescem com uma terrível sensação de injustiça, porque foram humilhados desta vergonhosa maneira.

Os pais falam estas coisas só porque não tem consciência de si mesmos.

Quando eram crianças ouviam as mesmas palavras de seus pais. Decoraram este tipo de comunicação e a repetem quando seus
filhos atuam como o faziam eles.

VC. não è produto da casualidade, VC. é um presente de Deus ao mundo, e o mundo é um presente de Deus para VC.

VC é único e irrepetível. VC. não foi modelado baixo a figura de outro ser humano, incluídos seus irmãos com os quais comparte
uma grande quantidade de genes.

VC é único e essa é a realidade.

Quanto antes o compreenda em melhor posição estarão VC e o mundo.

Vocês enxergaram um bebê?.

Ele é o resumo de milhares de anos de evolução de nossa espécie.

Ele é o resultado de nossa capacidade de adaptação ao meio.

Não existe melhor expressão do potencial humano que uma criança.

Ela é como uma esponja absorvendo todo conhecimento a seu redor.

Aos três anos já possui toda sua capacidade inteligente desenvolvida.

Como deveríamos falar-lhes a nossos filhos?

Como podemos ajudar-lhes a pensar bem de si mesmos?,

Como podemos ensinar-lhes a melhorar sem desaprova-lhes por seus fracassos?

Ao crescer baixo a influência da crítica e a comparação tendemos a projetar outra dança em nossos relacionamentos, esta è a dança entre " sou superior", "sou inferior".

As pessoas com uma auto-estima elevada não precisam fazer sentir inferiores aos demais para destacar se eles.

A vida è um premio, não um castigo.

VC admite sua liberdade e assume sua responsabilidade pelos resultados da sua conduta.

Significa que VC está no comando da sua existência. VC è quem dirige.

Como resultado disto, VC enxerga com clareza e entende muito bem o tema da autoridade.

Em quanto crescemos estamos rodeados de autoridades.

As primeiras pelo geral são nossos pais, sem falar de tios, primos, avos. Depois nossos professores, chefes, etc.

Muitas crianças não possuem tão claro o conceito de autoridade.

Tendemos a crescer entregando gradualmente nosso poder a uma diversidade de "autoridades", e para quando atingimos a maturidade nos transformamos em adultos sem autoridade.

Nosso corpo completa seu desenvolvimento, pero espiritualmente ficamos detidos.

Possuímos corpos desenvolvidos, nos sentimos como crianças sem poder e controlados pelos "verdadeiros" adultos aí fora.

Alem disso, como possivelmente fomos abusados, física, mental ou verbalmente pelas autoridades de nossa juventude, podemos
possuir uma impressão negativa de toda a gente com poder.

Tendemos a julgar à gente como autoritária, se tem segurança em sim mesmos.

O tema da autoridade se encontra lotado de conflitos, internos e externos.

Não desejamos entregar nosso poder, pero parecemos adictos a isso.

Depois culpamos aos demais porque nos controlam.

Quando nos sentimos oprimidos parece que temos só dois caminhos, o sumis são, ou rebelião.

Quando VC è abusado por alguém em posição de poder e não tem maneira de manejar-lho apropriadamente nesse momento, pode
compensar-lho desconectando se do centro de seu poder e criando uma aguda luta interna entre a criança abusada que VC se
identifica e a autoridade abusiva de quem VC se sente vitima.

VC leva essas duas identidades com VC a todos os lados. e dependendo da estimulação pode representar um ou outro papel.

Em outras palavras, si se encontra em presença de uma poderosa figura de autoridade, como são seu chefe ou seu professor,
VC se refugia em sua identidade de criança abusada.

Si está frente a uma vitima professional, sua figura de autoridade interior pode irromper de forma inapropriada.

Acredito que um passo fundamental na recuperação de seu poder è aprender a falar se SIM a sim mesmo.

Isso afirma a validade dos seus sentimentos, sua experiência e suas crenças.

Seu direito a ser VC. è um direito Humano baseado em dizer sim a VC mesmo.
Alem disso, falar sim lhe da imediatamente autorização para ser si mesmo.

Dar-se permissão è importante, por que se espera que alguém se o dei, isso significa que a autoridade vem de fora.


Falar sim a Vc mesmo, faz de sua autoridade interior um sanador que o ajuda a recuperar-se de uma vida de abnegação ( negação de si mesmo).

Falar sim para seus filhos os ajuda a apreender a falar-se sim a sim mesmos.

Não estou falando que VC deveria dizer-lhes sim o tempo todo. Eles também necessitam ouvir o NÃO.

Procure falar SIM as suas almas, quando está negando um pedido.

Quando seu filho fala " Mãe-, posso ir a brincar fora, não é necessário que VC fale " Não, tem que fazer tua tarefa". Em
troca pode falar" Sim. Após que faças tua tarefa podes sair a brincar!.

Existem crianças com um forte senso de confiança em si mesmos e de autoridade que são muito louváveis. Eles são o reflexo do
SIM de seus pais antes da concepção.

Muitas crianças são penosamente tímidas.. as vezes se trata de insegurança desde sua primeira etapa de desenvolvimento.

Outras vezes uma alma parece entrar nesta vida já frágil ou ferida.

Se VC esta criando ou ensinando a uma criança assim, é possível que note que ele tem algumas necessidades especiais.

Mas a necessidade mas especial de todas è a de aprender a ouvir as palavras SIM ou ESTA BEM, BOM, ou TE ESCUTO.

Quanto mas escute a estas crianças, mas acessíveis se voltaram e mas compartiram conosco.E, na medida de se vaiam abrindo
apreenderam que são perfeitos como são, e que possuem uma voz que vale a pena ouvir.

Encontrar a própria voz è parte de sentir a própria autoridade.

Cada pessoa, acredito, possui uma voz única, e com isto me refiro a um som, a um jeito de falar y sim.... a uma canção em
seu coração.

Provavelmente seja a mesma canção que a mulher africana espera ouvir em quanto convida a seu futuro filho a este planeta.


Com minha companheira Dolores trabalhamos como voluntários na Casa do Caminho, em Xerém – Rio de Janeiro; durante um período de três meses. Nesta casa, modelo no Brasil, ouvimos a canção de muitas crianças, e somos gratos por isto.

Fonte: Bob Mandel – Thomas Verny
Se procura um serviço de máxima qualidade e profissionalidade, podemos ajudar-lhe